Suculentas


Suculenta Aeonium haworthii
Suculenta Aeonium haworthii

Se eu dispusesse de espaço suficiente, cultivaria muitas outras plantas além das orquídeas. Dentre as opções de pequeno porte, tenho especial predileção pelas suculentas. Outra favorita nesta categoria é a mini samambaia havaiana.

As plantas popularmente conhecidas como suculentas pertencem a diversas famílias do reino vegetal, tais como a Cactaceae, Crassulaceae e Alzoaceae. Em comum, elas têm a capacidade de armazenar grandes quantidades de água em suas estruturas, quer sejam raízes, caules ou folhas. Por esta razão, costumam ter folhas e caules mais espessos, de aparência ‘gordinha’. Daí o termo suculenta. Muitas lembram pequenas esculturas em pedra. A Echeveria, por exemplo, é conhecida como rosa de pedra.

Os cactos são um exemplo típico de planta suculenta. No entanto, existem milhares de outros gêneros e espécies nesta categoria. Ao contrário das orquídeas e bromélias, plantas epífitas em sua maioria, adaptadas a ambientes úmidos e tropicais, as suculentas são capazes de sobreviver em regiões quentes e áridas, podendo ficar longos períodos sem água.

Estas características tornam as suculentas ideais para o jardineiro iniciante ou para pessoas esquecidas, que não têm muito tempo ou paciência para cuidar de plantas. As regas são ocasionais, apenas quando a terra estiver seca, podendo ocorrer a cada quinze dias. Na verdade, o excesso de regas pode acabar matando estas plantas. Ao contrário das orquídeas, quando cultivadas em terrários, as suculentas podem passar meses sem serem regadas.

De modo geral, as suculentas apreciam bastante luminosidade, preferencialmente sol direto. É curioso notar que as plantas cultivadas em ambientes pouco iluminados apresentam uma aparência bastante diferente da natural. Tendem a ficar finas e compridas, devido a um processo chamado estiolamento. Na prática, a planta tenta se ‘espichar’ em busca de luz.

Além de serem lindas, fáceis de cuidar e apresentarem uma enorme variedade de cores e formas, as suculentas podem ser multiplicadas de maneira bastante simples. Geralmente, qualquer folha gorducha que cai na terra acaba desenvolvendo raízes e gerando uma nova planta. Por seu pequeno porte, são excelentes opções para cultivarmos plantas em apartamento.