Alstroeméria


Alstroemeria
Alstroemeria

A alstroeméria, também conhecida como astromélia, homenageia seu descobridor, o barão sueco Clas Alströmer. Sua aparência delicada remete a um lírio em miniatura. Planta típica da América do Sul, ela é popularmente chamada de lírio dos incas ou lírio peruano. A maioria das espécies pode ser encontrada no Chile, Peru e em algumas partes do Brasil.

Apesar de seu nome popular, o lírio dos incas não tem parentesco com os lírios que geralmente são vendidos em floriculturas e costumam compor belíssimos arranjos florais e bouquets. A alstoeméria também não é parente do lírio da paz.

As diversas cores de alstroemérias que encontramos no mercado é resultado do intenso cruzamento entre as espécies, gerando híbridos cada vez mais belos e resistentes. A maior parte deste trabalho de melhoramento genético é feita na Holanda. Ainda assim, a alstroeméria é uma flor delicada, que requer cuidados especiais durante seu cultivo.

A variedade de cores disponíveis é imensa, incluindo flores brancas, amarelas, laranja, lavanda, púrpuras, rosa e vermelhas. Também é comum encontrarmos flores com mais de uma cor. São bastante utilizadas como flor de corte em arranjos florais. Quando bem cuidadas, costumam durar cerca de 15 dias.

No jardim, apreciam bastante luminosidade, chegando a tolerar sol direto nos dias mais amenos. Durante o verão, na parte da tarde, quando o sol é mais forte, precisam ser protegidas por uma sombra. Sob condições controladas de estufa, produzem flores o ano todo.